A Parups, S.A. é uma sociedade constituída no âmbito do processo de reestruturação financeira do BPN - Banco Português de Negócios, S.A., cujo património resultou da aquisição ao "Grupo BPN" de uma conjunto de imóveis, obras de arte, moedas comemorativas, moedas para fins de coleção e numismática, instrumentos financeiros, quotas e créditos conexos.
 
 
Com base nas competências organizacionais internas foi possível dar continuidade à persecução dos objetivos enquadrados na missão de alienar/liquidar a carteira de ativos sob gestão, tendo sempre em vista a maximização do resultado e a minimização dos custos correntes associados.
 
Objetivo
 
A Parups, S.A. aposta na criação de valor para o acionista que se materializa na maximização da recuperação do esforço público inerente à nacionalização e reprivatização do BPN.
 
Valores Estratégicos
 
Os vetores estratégicos que sustentam a atuação da gestão da sociedade são os seguintes:
 
                  . Recuperação de Créditos;
                  . Venda/Liquidação de Ativos;
                  . Adequação da estrutura de funcionamento da Empresa
 
Orientações Estratégicas Específicas para a Parups
 
1. Garantir a melhor gestão, a sua estabilidade e recuperação de ativos num enquadramento racional de “best practice”, assegurando a máxima rendibilidade, garantindo em todo o tempo o cumprimento dos princípios de boas práticas e de ética empresarial;
 
2. Identificação de soluções adequadas à tipologia de cada grupo de ativos (financeiros e não financeiros), privilegiando a sua alienação.
 
Síntese do ano 2016
 
A gestão da Parups, S.A. continua a ser assegurada pela estrutura orgânica da Parvalorem, S.A., a empresa que agregou todo o quadro de pessoal.
 
Os ativos financeiros representam cerca de 84,2% do total do ativo líquido da sociedade, sendo que as Unidades de Participação em Fundos Imobiliários representam cerca de 81,3% do total do ativo. São, pois, as Unidades de Participação em Fundos Imobiliários a grande componente de ativos sob gestão pelo que qualquer perspetiva de futuro passa sempre por operações que envolvam estes fundos.
 
Situação ainda mais relevante, na medida em que a Parups, S.A não tem qualquer intervenção na gestão dos fundos dos quais detém participação, nem nas políticas por si adotadas. Desta forma é imprescindível a manutenção da colaboração e coordenação da gestão da PARUPS, S.A., da PARPARTICIPADAS, SGPS, S.A., e da Imofundos, SGFII, S.A., na qualidade de sociedade gestora dos fundos imobiliários, para que a Parups, S.A. possa cumprir com o principal objetivo que lhe foi proposto pelo acionista, a recuperação dos ativos, estando esta recuperação de ativos fortemente condicionada e exposta ao mercado imobiliário.
 
A heterogeneidade da carteira de imóveis detida, nomeadamente quanto à sua tipologia, qualidade, valor de avaliação e localização geográfica, quer quanto à sua antiguidade na carteira e estado de conservação, explica a falta de liquidez de alguns imóveis, bem como o facto da receita obtida com a alienação de imóveis não ter uma correlação direta com o número de imóveis vendidos, nem com o esforço comercial na sua venda ou na sua gestão.
 
Ainda assim, o ano de 2016 foi particularmente generoso no que diz respeito à alienação de imóveis, tendo sido o melhor ano desde sempre, quer em termos de imóveis escriturados, quer em valor de vendas.