Ignorar Comandos do Friso
Saltar para o conteúdo principal

Mensagem do Presidente

Mensagem do Presidente

Como é de conhecimento público, entendeu o acionista único das Sociedades PARs (Parparticipadas, SGPS, S.A., Parvalorem S.A. e Parups SA.) — Direção-Geral do Tesouro e Finanças — nomear um novo Conselho de Administração para o conjunto das Sociedades. Contrariamente ao que já ocorreu na Parvalorem e Parups, onde essa mudança já se realizou no passado dia 18 de março, no caso da Parparticipadas, ainda prossegue e se aguarda pelas autorizações do Supervisor (Banco de Portugal) para os novos membros do futuro Conselho de Administração, ficando, portanto, o anterior ainda em funções, até à conclusão daquele processo.

Face a esta iminente alteração, esta será a última vez que aprovo e subscrevo o relatório e contas da Sociedade.

Desempenhei a minha função de Presidente do Conselho de Administração da Parparticipadas durante praticamente 7 anos, dedicando todos os meus conhecimentos e esforços no sentido de atingir os objetivos propostos pelo acionista aquando do início das minhas funções em agosto de 2012.

Recordando o caminho efetuado ao longo deste período, das 13 entidades que formavam o universo de participações sociais, diretas e indiretas, da Parparticipadas, SGPS, S.A., sobram apenas 3, sendo que uma delas — BPN CREDITUS BRASIL—já está em processo de liquidação avançado e outra — BANCO EFISA — em breve terá concluído o processo de alienação que após a assinatura do contrato de compra e venda de ações no passado dia 2 de maio de 2019, aguarda pela não oposição por parte do Banco de Portugal/Banco Central Europeu que demorará, certamente, ainda alguns meses. Permanece a terceira — a IMOFUNDOS — cuja decisão estratégica deverá ser equacionada e implementada pelo novo Conselho de Administração.

Quanto a resultados, a Parparticipadas realizou até 2018 um total de € 151,4 milhões entre valores de alienações de subsidiárias diretas até então concretizadas e dividendos recebidas. Caso a alienação do BANCO EFISA se concretize, esse valor aumenta para os 178,4 milhões.

Apesar de ser um valor relevante, nunca será suficiente para compensar os valores pagos ao BPN com a aquisição de todas as subsidiarias no âmbito do seu processo de preparação e formalização da reprivatização em 2012 e, também, os valores de juros pagos no âmbito do seu serviço de dívida e aumentos de capital entretanto realizados. Em dezembro de 2010, a Sociedade adquiriu ao Grupo BPN nove participações diretas por 150,5 milhões. Até à presente data teve custos financeiros de € 39,1 milhões e realizou cerca de € 142 milhões em aumentos de capital nas suas subsidiárias diretas, necessários, sobretudo, para garantir compromissos regulatórios.

Para que fossem atingidos estes resultados, foram fundamentais os seguintes aspetos: (i) o trabalho de equipa dos elementos que constituíram os Conselhos de Administração das Sociedades PARs, dos colaboradores das empresas participadas e da Parvalorem; (ii) a articulação e respeito para com o Conselho Fiscal (iii) a colaboração dos auditores externos; e (iv) a importante compreensão e intervenção da Direção-Geral do Tesouro e Finanças e dos vários Gabinetes da nossa Tutela ao longo destes anos. A todos eles um muito obrigado!

Uma palavra final para formular os melhores votas de felicidades para os vários membros da novo Conselho de Administração que iniciarão brevemente as suas funções na Parparticipadas, SGPS, S.A..

 
Bruno de Castro Henriques
 
Presidente do Conselho de Administração
 
<